repórter

textos de Augusto Baptista

04 mai 2007

Aparição

Durante a viagem, ele dormitou todo o tempo, enrolado no banco. Depois o transbordo, espera demorada num terreiro despido. Quando enfim a camioneta chegou ao destino, saiu com os ossos gelados, mãos recolhidas nos bolsos clementes.

 

Os poucos transeuntes com quem se cruzou eram silhuetas sem rosto, a tiritar sob a névoa que as respirações adensavam. Súbito, saia fina e blusa vaporosa, pés descobertos, uma mulher! Acalorada, quase despida. Uma jovem mulher, provavelmente vinda do frio. Segue-a um tipo lãzudo, avantajado, cabelo branco-polar. Um urso, a bem dizer. Um urso a andar em pé.


Por Augusto Baptista


‘Ficções – Histórias de passagem’ é a nova secção semanal do jornal ‘A Voz de Azeméis’.

O autor, Augusto Baptista, nasceu em Oliveira de Azeméis. É um criador que reparte as suas ‘criaturas’ pela escrita, pelo desenho e pela fotografia.

Publicou, entre outros livros, ‘Histórias de Coisa Nenhuma e Outras Pequenas Significâncias’, ‘Floripes Negra’, ‘Elucidário Oblíquo do Reino dos Bichos’, ‘O Caçador de Luas’ e, com Francisco Duarte Mangas, ‘O Medo Não Podia Ter Tudo’.


Posté par teodias à 14:04 - textos curtos - Commentaires [0] - Permalien [#]

Commentaires

Poster un commentaire