repórter

textos de Augusto Baptista

19 octobre 2006

Bordados à mão


Colado à montra, a desafiar os olhos da rua, o letreiro: "Bordam-se lençóis à mão". Foquei a objectiva, feito à imagem. «Ó senhor, o que está a fazer?». Apontei para o papel. «Mas por que está a fazer isso, senhor?» Modelei discurso: hoje com tudo feito à máquina, é bom encontrar resistências manuais. Não desarmou, excitada e já à ilharga, a proprietária da loja: «E para que quer isso, senhor?» Assumi ser coleccionador de dizeres, de letreiros, coisas assim, que aquele era muito interessan... clic! Embraveceu. E eu pus-me ao fresco, que o marido já se achegava, com ar de vero especialista em bordados à mão.

AB

 in Notícias Magazine n.º 523 – 2 de Junho de 2002

Posté par teodias à 17:42 - O Tempo e os Modos - Commentaires [0] - Permalien [#]

Commentaires

Poster un commentaire